sexta-feira, 20 de abril de 2012

[Resenha] Tormenta - Lauren Kate (Fallen #2)


Tormenta
Lauren Kate
Editora: Galera Record
Gênero: Ficção, sobrenatural
Páginas: 398
“Ela não estava com frio nem com medo. Sentia-se livre de tudo o que a atormentava na Terra. Livre de perigos, livre de qualquer dor que já sentira. Livre da gravidade. E tão apaixonada. Os lábios de Daniel traçaram uma linha de beijos até o lado de seu pescoço. Ele apertou os braços em volta da cintura dela e virou-a para que o encarasse. Seus pés estavam em cima dos dele, como quando dançaram sobre o oceano na festa da fogueira. Não ventava mais, o ar em torno deles era silencioso e calmo. Os únicos sons eram as asas de Daniel batendo enquanto eles pairavam no céu, e o das batidas de seu coração.”
[Atenção! Este é o segundo livro da série. Para ler o primeiro, clique aqui.]

Eu ainda não sei exatamente porque resolvi comprar esse livro. Eu não gostei de Fallen – o primeiro da série – e já tinha feito até uma nota mental de que não valia a pena continuar... Acontece que eu tenho a péssima mania de precisar terminar tudo aquilo que eu começo. Detesto abandonar uma leitura, ou parar uma série pela metade, mesmo quando ela é ruim. 

Outro motivo que também poderia explicar bem a minha decisão de continuar a série, é que a autora me conquistou pela simpatia e pela inteligência empregada na trama – ou pelo menos foi o que ela fez parecer nas entrevistas. –. Bem, seja pelo motivo que for, tenho que dizer que a leitura foi – com o perdão do trocadilho – um tormento.

Nesse volume da série, Daniel se vê obrigado a se separar de seu amor, visando protegê-la das estranhas criaturas que desejam capturá-la. Porém, Luce não aceita a despedida, muito menos quando há tantos mistérios envolvendo a sua mudança. Ela não consegue entender porque os anjos escondem tantas coisas sobre o que esta acontecendo e, principalmente, sobre o seu passado.

Entretanto, depois do que aconteceu na Sword & Cross e mesmo estando contrariada, Luce aceita se mudar para uma escola cheia de Nephilim, tendo como garantia de que seria apenas por um período provisório e que para o seu próprio bem. Só que a escola não lhe traz simplesmente aulas de biologia, matemática, e outras matérias mundanas. A escola lhe traz conhecimentos do mundo dos anjos, e, principalmente, conhecimentos que podem levá-la a desvendar os mistérios de seu passado, mesmo que para isso tenha que se aprofundar “ilegalmente” em alguma das matérias que são ensinadas aos Nephilim...

Bem... Resumindo? Chato, chato e chato. O livro tem uma narrativa lenta, cansativa, e se arrasta página atrás de página em eventos repetitivos e muito vagarosos. Além do mais, existem muitos detalhes da história que não fazem sentido, ou que se resolvem de forma muito conveniente e, por vezes, forçada. É complicado falar sobre isso sem acabar soltando um spoiler, embora, na verdade, nem se trataria de um spoiler tão grande, já que o livro inteiro é baseado em uma mesma ideia que se repete várias e várias vezes até você cansar.   

Sabe aquela história em que você começa a ler e logo se pega desejando que acabe logo porque você não aguenta mais? Pois é, foi o que eu senti. Eu ficava contando as páginas e por diversas vezes me peguei pensando “Putz! Ainda faltam 100 páginas para acabar!”. É horrível ler um livro sentido algo tão negativo, sem ter prazer nenhum em acompanhar a história e desejando que ela acabe o mais rápido possível.

E não é só a história em si, os personagens também são insuportáveis. A começar por Luce, que é uma versão quase que clonada de Bella Swan: sem graça, frágil e muito, muito chata! Ela passa o livro inteiro se lamentando do que escondem e fazendo besteiras para que alguém pudesse salvá-la (Opa! Já viram isso em algum lugar?). E Daniel? Meu Deus! Que par romântico mais chato! Eu não consigo sentir nada senão asco todas as vezes que ele aparece todo melosos e depois desaba em sua crise de dupla personalidade crônica. Sério. Ele é um personagem muito mal feito e instável.

Acho que os únicos personagens que me cativaram foi Cam (Sim, adoro o estilo bad boy dele e sua impulsividade.), Miles (Que tinha que trocar de lugar com Daniel, sério.) e Ariane (A única personagem para qual não tenho absolutamente nenhum defeito).

O final conseguiu ser ainda mais sem noção do que o resto do livro, embora eu admire a criatividade da autora em alguns – poucos! – pontos. Sinceramente, houve muitos poucos pontos positivos para o livro e ainda estou pensando se vou ter coragem para encarar “Paixão”. Não recomendo a leitura para ninguém que tenha a paciência pequena para repetições e romances chatos. Aliás, não recomendo a leitura de forma alguma. A nota só não foi mais baixa porque eu ainda levo em consideração a arte maravilhosa do livro e as partes realmente inteligentes da trama (Muito embora estas sejam escassas.). 

PS: Juro que eu tentei gostar desse livro, juro!

Avaliação:
Acabamento do livro:   
História: 
Andamento: 
Desfecho: 

Avaliação Geral:

Nenhum comentário:

Postar um comentário